Directly go to the content
Outras consultas febre dos fenos menina girassol
Tem sintomas de alergia?
Faça o autoteste
  • Alergia

Alergia

O que é que uma alergia?

Uma alergia é um distúrbio do sistema imunológico que faz com que o mesmo reaja a substâncias externas às quais normalmente não reage. O sistema imunológico vê essas substâncias, erradamente, como uma ameaça ao organismo. As reações comuns são irritação nasal, comichão nos olhos, erupção cutânea ou pieira, mas também são possíveis reações mais graves, como queda da tensão arterial, choque ou até paragem cardíaca.

  • Passo 1
    É você quem escolhe o seu tratamento

    Conheça as possibilidades e escolha o tratamento que mais lhe convier.

  • Passo 2
    Nós fornecemos-lhe a assistência necessária

    Um médico analisará o seu questionário médico e enviará a sua receita para uma das farmácias afiliadas.

  • Passo 3
    Entregas ao domicílio sem complicações

    Receberá a encomenda em sua casa de forma rápida e cómoda.

Quais são as causas de uma alergia?

Atualmente, as causas das alergias ainda não são exatamente conhecidas. No entanto, sabe-se que os fatores hereditários, a higiene e o estilo de vida desempenham um papel importante. Os fatores hereditários não transmitem a alergia a um determinado alérgeno, mas sim a predisposição para as alergias; os pais podem ser alérgicos a algo completamente diferente do que os filhos, mas a reação do sistema imunológico a um alérgeno é determinada geneticamente. Quanto mais membros da família tiverem uma alergia, maior a probabilidade de ter predisposição para tal. Estudos mostraram claramente a relação entre o número de membros da família com alergias e a probabilidade de uma criança desenvolver alergias. Os fatores ambientais também desempenham um papel no desenvolvimento de alergias. As alergias ocorrem principalmente nos países ocidentais, o que sugere que o ambiente limpo em que as crianças crescem nesses países está relacionado com as alergias. Quando o nascemos, o nosso sistema imunológico ainda se encontra pouco desenvolvido, mas ao longo dos anos vai sendo exposto a diversos estímulos. E são exatamente esses estímulos que faltam no nosso ambiente demasiado higiénico.

Como já foi dito, ainda há muito para desvendar sobre este assunto. Sabe-se que existem mais pessoas com alergias no mundo ocidental do que nos países em desenvolvimento, mais nas cidades do que no campo, e mais nas sociedades onde se consomem mais alimentos processados do que nas sociedades onde se usam mais ingredientes naturais e frescos.

Que tipos de alergias existem?

Existem muitos tipos de alergias. As mais comuns são:

  • Febre dos fenos: uma reação alérgica que ocorre devido à inalação de grãos de pólen ou pólen de árvores, gramíneas ou plantas herbáceas. Estima-se que cerca de 10 a 20% das pessoas nos países ocidentais sofrem desta alergia.
  • Alergia aos ácaros do pó doméstico: o ácaro do pó doméstico é um animal minúsculo que se alimenta de escamas da pele e fungos e que vive sobretudo nas nossas camas. As pessoas alérgicas aos ácaros reagem de forma alérgica às fezes dos ácaros.
  • Asma alérgica: a diferença entre asma alérgica e asma ‘normal’ é que a asma alérgica ocorre devido a hipersensibilidade ao pólen, ácaros do pó doméstico, alimentos ou picadas de insetos e similares, enquanto que a asma ‘normal’ também pode ser ocorrer devido a hipersensibilidade ao fumo de cigarros, devido a esforço ou a mudanças de clima.
  • Alergia a animais de estimação: esta é outra alergia por inalação. Os alérgenos geralmente não são os pelos, mas sim as escamas da pele, urina, saliva e, por exemplo, excrementos de pássaros.
  • Alergia de contato: pode incluir todos os tipos de substâncias que entram em contato com a pele. Exemplos: látex, níquel, cromo, perfumes, conservantes em cosméticos, adesivos, plantas, produtos químicos na tinta para o cabelo e líquidos de permanentes (dermatite de cabeleireiro) e vestuário de pele. Os sintomas da alergia de contato (eczema, inchaço) podem ocorrer de imediato ou mais tarde, entre imediatamente e após três dias. Esta alergia também pode ocorrer repentinamente depois de ter usado algo durante anos sem problemas.
  • Alergia alimentar: 90% de todas as alergias alimentares têm a ver com as proteínas do leite de vaca, soja, amendoim, nozes, peixes, crustáceos e ovos (fonte: JAMA, 2008). Além disso, também é possível ter alergia a certas frutas e legumes (espinafres, aipo, cerefólio, cerejas, damascos, pêssegos, maçãs, peras, morangos). A alergia alimentar é muitas vezes confundida com intolerância alimentar. Os sintomas parecem os mesmos, mas enquanto uma alergia é uma reação do sistema imunológico, uma intolerância geralmente tem a ver com problemas intestinais que fazem com que os alimentos não sejam bem digeridos.
  • Alergia ao veneno de insetos: esta é uma alergia potencialmente grave a, por exemplo, picadas de abelha ou de vespa. Nestes casos, podem surgir inchaços por todo o corpo, mas se isto ocorrer nos lábios, olhos e pescoço pode causar dificuldades respiratórias. Além disso, também pode ocorrer um choque anafilático (diminuição da tensão arterial e arritmia cardíaca).
  • Alergia ao sol: em caso de alergia ao sol, é importante não se expor ao sol durante muito tempo. Por vezes, alguns minutos são suficientes para provocar comichão ou inchaço na pele. Esta alergia afeta principalmente as mulheres. Alguns medicamentos ou cosméticos podem provocar hipersensibilidade à luz solar, mesmo que isto nunca tenha constituído problema anteriormente.
  • Alergia medicamentosa: certos medicamentos, como a penicilina, antibióticos e algumas hormonas, podem desencadear uma reação alérgica. A penicilina, em particular, é um exemplo bem conhecido.

Como reconhecer uma alergia?

A maioria das reações alérgicas ocorre muito rapidamente após o contato com os alérgenos. Os sintomas são muito diversos e muitas vezes são possíveis vários diagnósticos. É possível excluir eventuais alérgenos evitando-os temporariamente e verificando se os sintomas diminuem ou até desaparecem. Em caso de alergias de contato, é possível efetuar testes de contato para descobrir as substâncias que provocam alergias. A substância suspeita manter-se-á na pele durante um ou mais dias.

Existe alguma coisa a fazer contra as alergias?

Para a maioria das alergias, evitar o contato com o alérgeno é a melhor solução, mas existem outras opções, como comprimidos, sprays nasais e colírios contra a febre dos fenos e alergias a animais de estimação. Além disso, poderá fazer alterações no seu estilo e ambiente de vida.

Quais os tratamentos existentes?

Escolha do médico

  • Normalmente, no caso de rinite alérgica (uma reação alérgica por inalação), o médico inicialmente discutirá um processo não medicamentoso, em particular para evitar os estímulos que induzem a reação alérgica. Esta é uma parte integrante e efetiva do tratamento. A simples utilização de capas de colchão repelentes de poeira não é eficaz por si só; é necessária uma combinação de medidas de prevenção de alérgenos.
  • Atualmente é possível escolher de entre diversas terapias. Dependendo da gravidade dos sintomas e possível gravidez ou amamentação, pode optar-se por um anti-histamínico não sedativo, em forma de comprimido ou spray nasal, ou por um corticosteroide sob a forma de spray nasal.  
  • O terceiro passo é discutir a evolução da medicação e, se necessário, ajustá-la, devido a efeitos secundários ou efeito insuficiente. Nesta fase, também é possível combinar um spray com os dois tipos de agentes, para aumentar a facilidade de utilização.
  • Se a medicação não surtir efeito, ou se a alergia afetar seriamente a qualidade de vida, poderá também ser considerada a imunoterapia específica para alérgenos. A hipersensibilidade a certas substâncias é reduzida através de imunização ativa. Este tratamento é realizado em duas fases, uma fase de ajuste e uma fase de manutenção, e a duração total do tratamento é de 3 a 5 anos.

A imunoterapia é sempre realizada em consulta e sob a supervisão de um médico devido aos possíveis efeitos secundários e contraindicações. Além disso, a imunoterapia reduz os sintomas da alergia, mas não a faz desaparecer.

Medicação

Existem comprimidos, sprays nasais e colírios de várias marcas e de venda livre para alívio da maioria dos sintomas de alergias. Em caso de asma alérgica, poderá receber medicação para relaxar os músculos do trato respiratório, de forma a eliminar a falta de ar. Geralmente, esses medicamentos são aplicáveis por inalação e atuam mesmo com doses baixas, o que significa que provocam poucos efeitos secundários.

Em caso de reação alérgica grave a picadas de insetos, o médico pode administrar adrenalina com um injetor de adrenalina. As pessoas que sofrem desta alergia também recebem geralmente um auto injetor de adrenalina para usarem em situações de emergência. Em caso de alergias de contato, são frequentemente receitadas pomadas com corticosteroides. Em caso de alergia a medicamentos, a única opção é deixar de usar esse medicamento.

Tratamentos alternativos

Existem alguns tratamentos alternativos:

  • Os medicamentos homeopáticos podem ajudar a combater a febre dos fenos. Para isso, poderá consultar um médico homeopata.
  • Por vezes, a fototerapia pode ter efeitos positivos. A mucosa nasal é tratada com uma luz vermelha especial que ajuda reduzir as reações alérgicas.
  • Em caso de alergia de contato, a fototerapia também pode ajudar, isto porque a luz solar, especificamente a parte ultravioleta, suprime as defesas próprias da pele, reduzindo assim o eczema. As ciências médicas desenvolveram a terapia de luz para esse fim, também chamada fototerapia. Com a fototerapia, a pele pode ser iluminada com uma dose muito específica de luz ultravioleta.
  • Uma alergia ao sol não precisa necessariamente de ser tratada, mas é possível preveni-la acostumando a pele à luz do sol e usando um bom protetor solar. A fototerapia com luz especial também pode ajudar a pele a acostumar-se à luz solar.

Alterações do estilo de vida

O contato com o pólen é inevitável, mas poderá manter as janelas e portas fechadas o máximo possível e passar o menor tempo possível ao ar livre durante a estação dos pólens.

Se é alérgico aos ácaros do pó doméstico, poderá tomar as seguintes medidas: arejar a roupa de cama regularmente, aspirar o colchão pelo menos uma vez por semana e não fazer a cama imediatamente após levantar-se. Além disso, é preferível optar por produtos sintéticos, substituir as carpetes por parquet ou vinil e aspirar frequentemente. Por fim, uma boa ventilação na casa de banho e na cozinha é também essencial. Os ácaros do pó doméstico gostam de ambientes quentes e húmidos. Em caso de alergia a um animal de estimação, infelizmente, a melhor solução é, de longe, tirar o animal de casa e também evitar o contato com essa espécie. Muitos aspiradores, por exemplo aspiradores especiais para animais de estimação, podem ser suficientes em caso de alergias leves.

No caso de alergias alimentares, o melhor conselho é evitar o alimento que provoca a alergia, mas isso nem sempre é fácil. As proteínas desses alimentos podem ser utilizadas em muitos produtos, mesmo sem que isto esteja claramente indicado na embalagem. E são exatamente essas proteínas que causam o problema. A maioria dos alérgenos são destruídos quando o alimento é cozinhado, mas isso não é opção em caso de risco de reações alérgicas graves, como choque anafilático. As alergias de contato podem surgir repentinamente após anos de utilização sem problemas e os sintomas podem ocorrer imediatamente ou mais tarde. Depois de saber qual a substância que causa a alergia, é melhor evitá-la. A asma alérgica exige as mesmas mudanças de estilo de vida que as alergias ao pólen, animais de estimação e ácaros: aspirar frequentemente, não usar tapetes ou carpetes e usar roupa de cama antialérgica. Além disso, evitar a proximidade de fumadores também pode aliviar os sintomas.